Monday, December 11, 2006

Dia de trabalho com Klimt

(Klimt)

Confesso que em termos de trabalho os meus genes são portuguesissimos e não fujo a regra... não gosto de trabalhar e limito-me ao minimo. Mas no passado Sábado, pela primeira vez, e para desenrascar uma amiga, acedi a trabalhar para o sector privado. Lá fui eu, das 9h as 5.30.
O trabalho de um farmaceutico numa Farmacia de Oficina aqui é muito diferente do realizado em Portugal. Primeiro, não passei tempo nenhum ao balcao uma vez que essa é a função da/o Health Care Assistant e a/o Counter. Segundo, não tive de dispensar nenhuma receita porque esse é o trabalho da/o Dispenser. O meu trabalho resumiu-se a estar sentada num banquinho e confirmar que o Dispenser imprimiu as etiquetas com as instruções correctas e dispensou os medicamentos solicitados. Assino a caixa. Feito. Como tenho grande capacidade de concentração sou mais rápida do que o normal a realizar essa função e tomei a minha mesa de assalto, e para surpresa da Health Care Assistant e da Dispenser, limpei tudo à minha frente incluindo trabalho que tinha sido deixado de Sexta para Segunda-feira seguinte.
Durante a manhã verificou-se um fluxo constante de utentes mas à tarde os clientes começaram a rarear. Para passar o tempo comecei a ler um livro sobre Saúde mas passado algum tempo já não aguentava o tédio. Valeu-me ter levado um livro sobre Klimt... passei 3 deliciosas horas a estudar o mestre, ainda me fizeram um cafezinho, como aqui as Farmácias vendem outros artigos que não medicamentos fiz umas comprinhas e no final pagaram-me £23 (34 Euros) por hora...
... hummmm, creio que vou rever a minha atitude... acho que afinal até gosto de trabalhar!

Labels:

13 Comments:

Anonymous nefertiti said...

Fabuloso este blog!!!

1:03 PM  
Anonymous JMC said...

Rosário, desse tipo de trabalho também gosto, já daquele outro nem tanto.

Boa semana.

JMC

2:15 PM  
Blogger kurika said...

Hum...Assim não custa e até motiva!!!

As compras...foram perfumes? Hehe...

Beijinhos

2:37 PM  
Blogger mfc said...

Bem bom...!

3:38 PM  
Blogger Maria Papoila said...

O trabalho, seja ele qual for, é algo que gostamos de fazer, se no fim recebermos a devida recompensa.
Ora, isso não acontece à maioria dos portugueses... Na verdade, quem mais recebe é quem menos trabalha.

4:06 PM  
Blogger -pirata-vermelho- said...

"O trabalho, seja ele qual for, é algo que gostamos de fazer," com eficácia, se houver disso resultados que aproveitem a tod'a gente.
"Ora, isso não acontece à maioria dos portugueses...", que têm que se esforçar o triplo para obter metade do resultado, quando há resultado; o que acontece raramente...

(obrigadopela ajudinha, papoila)

6:30 PM  
Anonymous Anonymous said...

Eheheheheheh!!!!!!!!!!!! Acho que o nao gostar de trabalhar e o consequente limitar-se ao minimo sao "caracteristicas geneticas" que os portugueses foram perdendo ao longo dos tempos. Estas novas geracoes de portugueses trabalham como loucos! Nao e excepcao. Talvez o seja por trabalhar com/por gosto. E dai, nem tanto...

Jinhos.

P.S. Tambem gosto muito do Klimt, mas queria este Natal oferecer um livro do Bouguereau, uma vez que foi a Rosario quem mo revelou, que me recomenda?

7:33 PM  
Anonymous joseaugustosoares said...

Não há nada que chegue à "alegria no trabaho" (salvo seja!).

Obrigado pela visita ao "casteletesempre".

Beijo

7:41 PM  
Blogger Daniel Aladiah said...

Nada como sermos genuínos!
Um beijo
Daniel

9:58 PM  
Blogger Carraça said...

Também sou fã de Klimt!
Bjs

10:42 PM  
Anonymous Anonymous said...

Bem, cheguei cá por acaso mas agora fiquei fã :-)
Curiosa a organização interna duma farmácia comunitária em Inglaterra! Muito diferente daquilo acontece cá, de facto. Só não percebi bem qual a diferença entre as funções (e a formação) do healthcare assistant e do counter.
Pois que realmente com esse nível de remuneração até eu (que não sou particularmente virada para a comunitária) era capaz de pensar duas vezes...
Só p terminar, o jj disse anteriormente que as novas gerações de portugueses trabalham como loucos. Concordo perfeitamente (e eu própria não sou excepção). Mas continuo com aquele amargo de boca de ver os ingleses a sair às 5h30 da tarde e os dinamarqueses às 4h, e nós por mais horas que trabalhemos continuamos a ter uma produtividade miserável e salários que são o que se vê...afinal qual é o nosso problema?
Beijos

1:43 AM  
Blogger amadis / pintoribeiro said...

Dasse...bom dia Rosário, bjikus e abracikus.

9:37 AM  
Anonymous Anonymous said...

por cá devias passar o dia ao balcão a atender as receitas da "Caixa" e no fim se levasses os 34€ pelo dia , sem direito a café , já seria obra certamente!!!
beijinhos pela produtividade.

10:00 AM  

Impressoes

<< Home