Wednesday, September 06, 2006

A Minha Galeria

Saudade de Coimbra, Óleo sobre tela (60x50cm), 2003

Labels: , ,

16 Comments:

Anonymous Anonymous said...

depois de os nossos olharesse terem cruzado, numa noite de festa junto da barraquinha das caipirinhas, ficou gravado no meu pensamento um constante pensamento, terias sido tu capaz de me enfeitiçar. olhei de frente para ti mas tive quer desviar o olhar pois não consegui aguentar o feitiço que os teus olhos espalharam. sei que não me conheces, ou melhor conheceras-me de vista, afinal tambem sou de carção, pouco ou nenhum contacto tivesmo, tereite dito duas ou tres vezes bom dia, mas o que nasceu como uma sementinha cresceu a olhos vistos ao longo do tempo, manteve-se ouculto, ganhou vida propria e agora ao fim de tantos anos, o teu olhar petrificou-me, estranho modo de se sentir algo.
tentei durante essa noite encarar de novo o teu olhar, procureite pelo arraial, mas.. tu já tinhas desaparecido, e afinal teriastu estado ali, ou os teus grandesolhos negros teriam sido imaginação minha. deixo-te esta mensagem onde possivelmente niguem a vera, mas ondese encontra a palavra saudade.fui ver a tua esposição e adorei, noto que cada pincelada é digna do nome de artista, alem da tecnica imcorpora um amor que por certo não cabera no teu peito. tomei a liberdade de retirar o teu auto-retracto e coloca-lo na menha secretaria. um abraço do tamanho do mundo carregado com um universo de amor. peço desculpa pois este não é o local apropriado, mas a razão suplanta o coração

11:24 AM  
Anonymous Anonymous said...

email caso queiras enviar algo pocodosmoiros@gmail.com

11:38 AM  
Blogger António Rosa said...

Rosário
Sobre aquele e-mail que me enviou, vamos combinar uma coisa.
Vou fazer o que me pediu. Mas não pode ser agora, por vários motivos, até porque tenho outros pedidos anteriores.
Peço-lhe apenas para me enviar este e-mail (ou outro) dentro de 3 semanas com todos os seus dados: data, hora e local de nascimento.
A razão é simples: para não cair no esquecimento. E comigo é tão fácil isso acontecer.
Um abraço

11:43 AM  
Blogger António Rosa said...

Rosário
Vou repetir um comentário que fiz e que não sei onde foi parar.
É para lhe agradecer o seu linque ao "Postais da Novalis". Muito obrigado. Vou já lincá-la no meu, na rubrica "Anel do Coração". Aos sábados costumo agradecer publicamente no blogue, todos os linques que os outros me fazem... e que eu consigo detectar.
Isto do detectar é muuto subjectivo... não sei para que serve o Technorati. Dezassete blogues fizeram-me linques que não foram apanhados pelo Technorati. Enfim...
Mais uma vez, obrigado.

Gostei da sua galeria. Não se surpreenda se vir alguma pintura sua (devidamene identificada a sua autoria) a ilustrar textos meus.

11:58 AM  
Blogger sabr said...

Cada vez melhor. Já agora. No post de hoje, fiz um esforço, tenho um link que talvez te interesse. Bjikus Rosário.

12:42 PM  
Blogger Funes, o memorioso said...

Eu acho que o primeiro anónimo, no fim, queria dizer "...mas o coração suplanta a razão".
É natural que se tenha enganado. O Amor tolda-nos o raciocínio.

1:23 PM  
Blogger Funes, o memorioso said...

"Coimbra é uma obsessão permanente na obra de Rosário A." - leio eu, daqui a uns anos, no livro da "Taschen" sobre a sua obra.
-
A propósito, vou amanhã para Coimbra e isso fez-me lembrar que na semana passada estive em Bragança e que a Rosário me deixou uma série de contactos fundamentais na região.
O meu problema não envolvia nenhum conflito ou litígio com ninguém. Era uma negociação muito pacífica. Mas, à cautela, já registei o nome do irmão da Rosário, para eventual (ab)uso futuro.
O da mãe não registei. É que a respeitável Senhora, apesar da sua qualidade de mãe, não tem obrigação nenhuma de suportar as consequências das loucuras da filha. :)
Em todo o caso, MUITO OBRIGADO

1:36 PM  
Blogger Barão da Tróia II said...

Excelente. Gosto da tua arte, porque é calma.

2:24 PM  
Blogger Rosario Andrade said...

Caro anónimo,
...bem , desta nao estava eu a espera! Os "anonimos" deixam sempre uns comentários muito irados e murrinhosos nos blogs que frequentam. Queria por um lado agradecer-te a originalidade e por outro dizer que, apesar de ser comprometida, na Festa da Sra das Graças um pézinho de dança nao se recusa! Por isso, fica para o próximo ano!...

António,
Nao há pressa nenhuma, eu envio os dados. Um prazer, linkar o Postais de Novalis. Pode usar as pinturas a vontade.

Sabr,
Obrigada, gostei muito, sim! Olha, desta vez conseguiste um record... o blogcidio antes de eu fazer a actualizacao dos links... da proxima vez vou tentar ser mais célere! ;-D

Funes,
Creio bem que a Tashen nao se interesse por pelintras como eu... em todo o caso, creio que tem razao, pintei Coimbra, a Puta Velha, vezes sem conta (e provavelmente vou contnuar a pintar...). Lembro-me de pelo menos mais 3 quadros com o mesmo tema(mas podem ser mais), dos quais nao tenho fotos... além de outros que ainda nao estao na galaria on-line.
...talvez a mae Joaquina tenha alguma culpa nas loucuras da filha... pelo menos a (pequena) parte de origem genética! :-)

Bjicos!

2:38 PM  
Blogger Rosario Andrade said...

Barao,
...bom ter-te de volta!
Bjico

2:39 PM  
Blogger Tom, um ser diferente... said...

Que lindo!
Não conheço Portugal ainda, apesar de neto de um português bigodudo!
Mas quando for, farei questão de ir a Coimbra. Tenho amigos morando lá e todos dizem a mesma coisa, que a cidade é de uma beleza sem igual!
Beijicos minha amiga!
Estás para sempre no meu coração.
Tom

5:11 PM  
Anonymous Carção said...

Carção não tem limites...pena que seja tão longe, tive a indelicadesa de ler a declaração amorosa(?) do "anónimo" e reamente é fantástico..que coisas estranhas! a barraquinha das caipirinhas!!!!
se os lameiros falassem...ui, ui, ui que diriam!?
faço sempre questão de os visitar em agosto numa noite de luar e a nostalgia...brilham os meus olhos, e meu peito treme de saudade...
que coisa! Oh Aldeia de Carção...que imensidão de paixões.

6:07 PM  
Blogger greentea said...

não fui aos lameiros , pelo menos en noite de luar que não as apanhei, mas visitei a barraquinha onde serviam caipirinhas , sim senhor, na festa de uma qualquer outra aldeia e até dancei ao som de música do brasil ...estão muito mudadas as aldeias portuguesas...
E decerto que as declarações amorosas de há uns anos seriam decerto bem mais recatadas e trocavam-se talvez uns bilhetinhos por entre os bancos da igreja enquanto o padre dizia o sermão.
Quem teria ordem de ir até aos lameiros ou aos barrocos , pela noite adentro, de luar que fosse , nem em dia de festa. Não conheço Carção, nasci em Lisboa, alfacinha de gema, mas que estas histórias são deliciosas e que as conheço bem iguais a estas, noutro local prá i perto, é bem verdade...

beijinhos (Kos) e bom recomeço, pelo menos bem animado.



antonio rosa deixou um comment para ti no meu blog, a seguir ao teu comentário - não tenho problema nenhum em vos receber a ambos por lá.

7:43 PM  
Blogger Pé de Salsa said...

Olá Rosário.

É este mais um belo quadro a homenagear Coimbra.

Como tudo, depende dos olhos de quem a vê e os meus vêem-na de um modo diferente (ainda a vi há dois dias). Já lá vivi e nunca consegui adaptar-me.

Li todos os comentários anteriores e o primeiro (do anónimo) toca-nos o coração. É sempre bom sabermos que "entramos" no pensamento de alguém.

Bjico

8:12 PM  
Blogger António Rosa said...

Rosário
Vim deixar um abraço.
Fica atenta ao meu blogue no sábado, por favor.
Vou usar um óleo teu, lindíssimo, com todas as autorias ressalvadas, claro.

Ok. Fico à espera que me envies esse e-mail a recordar-me o prometido.
Fá-lo-ei com muito prazer, podes crêr.

Um beijinho
António

9:04 PM  
Anonymous Edelize said...

E sabe que dá aquela vontade de ver as suas telas ao vivo! Muto linda! Beijocas.

8:44 AM  

Impressoes

<< Home