Wednesday, January 11, 2006

A Minha Galeria


In Memoriam, 110x160cm, Óleo sobre tela, 2003

Hoje seria o seu aniversário. Quem o visse antes da terrível doença o atacar traiçoeiramente, imaginaria que neste e muitos futuros aniversários estivesse cá para os festejar. Alto, de constituição compacta e atlética (apesar o desporto dele fosse tratar das suas oliveiras do Marmeleiro), emanava força e segurança. Os olhos muito verdes e vivos, temperados de bondade e de um brilho matreiro, acentuado por um lábio sorridente. Querido pai Aníbal!
Senhor de um humor inteligente, agudíssimo e contagiante, semeava gargalhadas ao seu redor. Lembro-me como no dia 1 de Abril se entretinha em preaparativos minuciosos (nem que isso significasse levantar-se às 4 ou 5 da manhã) para ir pregar partidas aos amigos mais chegados... o tio Zé Palá caía sempre de uma maneira tão engraçada! Como naquele ano em que o pai se levantou de madrugada, por entre um frio de morte, e foi bater à casa do tio Zé, que os porcos dele tinham saido do curral e revolvido a terra onde havia poucos dias tinham semeado as batatas. O tio Zé, aflito, levantou-se estremunhado, espicaçado pelas palavras acintosas da mulher, saiu em ceroulas a correr para a horta, a gritar impropérios, apenas para ver, sob a luz ainda muito parca, os porco fechados e a horta na sua térrea serenidade, por entre os risos do meu pai. Dizia o tio Zé nessa altura "ah, corno, que num me boltas a apanhar!". Mas voltava, sempre, ano após ano.
Não me lembro de alguma vez o ter visto doente antes. Apenas as habituais constipações, que ele curava com uns bons tragos de aguardente antes de se ir deitar. A doença veio tolher-lhe a vida numa altura em que começava a colher os frutos de uma vida de trabalho e sacrifício, escolhida voluntariamente, para que três filhos pudessem estudar e fugir à maldição da vida de trabalho no campo, ou à única alternativa, à emigração forçada.
Tantas saudades, pai. Lembro-me das tuas palavras, dos teus olhos, do teu sorriso, e às vezes em sonhos, ouço claramente a tua voz... mas é tão pouco! Queria dizer-te tanto, contar-te das coisas, sentir o teu orgulho, ler no canto do teu olho que os sacrifícios valeram a pena!... porque para ti, bem sei, mais que pela tua vida, medias o teu sucesso pela vida dos teus filhos. como ías adorar estar aqui, hoje!...

Este quadro pintei-o depois da sua morte, como homenagem. Nunca poderei agradecer convenientemente, jamais. Apenas lembrá-lo, manter a sua memória quente no meu peito e dedicar-lhe um pouco do tenho de melhor... para ele que acreditava, e que tinha na Nossa Senhora das Graças a ajuda espiritual em momentos difíceis, a imagem da padroeira sobre a aldeia, num quadro doado à igreja em sua memória.


12 Comments:

Blogger greentea said...

os que já partiram, que estão agora noutros mundos noutras paragens nunca nos deixam definitivamente, voltam sempre- para nos ver, nos falar , nos encontrar e sabem tudo o que se passa connosco.
Não os vemos fisicamente, mas eles veem-nos e encaminham o nosso dia a dia como antes já o tinham feito sob outras roupagens.
Um beijo para ti

1:35 PM  
Blogger spartakus said...

Um bjo Rosário. Há coisas que, por pudor, não devemos comentar. Silêncio. Um grande abraciko.

2:45 PM  
Blogger Cadelinha Lésse said...

Um beijo por me teres dado a conhecer o pai Aníbal.

Lésse

2:50 PM  
Anonymous Ana Amorim said...

És um enorme orgulho para o teu pai. Sempre. E ele, enquanto esteve cá, sempre te admirou e tu sabes isso... e isso é muito importante.
És linda.
Bjs

3:31 PM  
Blogger Dinada said...

Adoro-te, artista de mão cheia :)

Faço ideia o teu pai :)

Beijico!!!

4:04 PM  
Blogger Folha de Chá said...

Este teu quadro é uma belíssima homenagem. A Nossa Senhora das Graças está lá, a abençoar o teu Pai e a abençoar-te a ti também. As tuas saudades sabem que ao teu lado está um Anjo de olhos verdes, a zelar por ti? :) Abracikos apertados.

4:05 PM  
Blogger Rosario Andrade said...

Queridos amigos,
Obrigada pelos vossos cometários doces... hoje é um dia difícil mas os amigos são lenitivos, como anjos!

Abracicos!

4:09 PM  
Blogger frog said...

Não me apetece dizer nada... basta-me recordar o seu olhar bom e matreiro... comemora o seu aniversário como se ele fosse vivo...ele merecia...

4:25 PM  
Blogger rps said...

1bj, no comments.

6:59 PM  
Anonymous zezinho said...

Minha querida amiga, impressões hão que nunca desaparecerão.
Um beijo com saudade

9:49 PM  
Anonymous JMC said...

É, uma homenagem muito bonita e sentida, mas quem sou Eu, para comentar, um momento tão intimo de reflexão.
JMC

8:44 AM  
Blogger Pablito Piris said...

muy linda pintura. Felicitaciones.

4:39 AM  

Impressoes

<< Home