Wednesday, November 22, 2006

Nina


(Possoz)

O quintal da nossa casa comunicava com os quintais de outras duas e as portas estavam sempre encostadas. A casa da tia Romas era a minha preferida. Tinha sempre muitos gatos que ela recolhia da rua e salvava da fome. Era uma família de comerciantes. O filho ia ao Porto todas as semanas, trazia a carrinha cheia de fruta, de galinhas ou de peixe, sardinhas, peixe vermelho, polvo, safio e pouco mais. A carrinha chegava de manhã cedinho e fazia-se anunciar por meio de um sonoro buzinão. Para cada um dos víveres estava designado um dia da semana.
A tia Romas era uma senhora idosa, de uma bondade extrema. Tinha duas filhas adolescentes, lembro-me vagamente de as ver a desenhar e a colorir desenhos, a fazer bolos... deixavam-me sempre lamber os tachos e comer a primeira fatia, ainda quente, mal o bolo saia do forno. Chamavam-me "a nossa menina" ou simplesmente "Nina". Era esse o nome pelo qual respondia enquanto criança.

Labels: ,

11 Comments:

Anonymous Anonymous said...

A minha irma mais nova tambem responde, hoje ainda, pelo mesmo! :)
Delicioso este seu regresso a infancia!

2:19 PM  
Blogger mfc said...

Que bem que nos fazem estas pequenas grandes recordações da infância, ó Nina!

2:57 PM  
Blogger baratas said...

QUE PREFEITO!
O guarda faz sinal para o
motorista parar, na rua. O sujeito
abaixa o vidro:
– O que houve, seu guarda?
– Não sei se o senhor soube. Seqüestraram nosso prefeito.
Os seqüestradores dizem que, se não pagarmos o resgate, jogarão gasolina e o queimarão vivo. Estamos pedindo ajuda. O senhor contribuiria?
– Quanto estão doando em média?
– Ah, entre 5 e 6 litros.
------------------
Saúde e paz!
www.baratas.tk

8:19 PM  
Blogger kurika said...

Linda Nina...
O texto está delicioso...em tudo...e então a lamber o tacho do bolo...

A minha sobrinha M.J. chama-me ninha ... querendo ela chamar-me madrinha.

Um beijinho grande

OBS:
Tirei fotos do meu Coimbra, mas ficou um pouco escuro, um dia destes, mando-te...para recordares.

9:43 PM  
Blogger O Sibarita said...

Oi Rosario! Belas lembranças da infância, hein? Isso no rejuvenece com certeza.

abraços
o Sibarita

3:26 AM  
Blogger amadis / pintoribeiro said...

Bom dia.

10:48 AM  
Blogger Xica said...

Porque é que temos q crescer? Era tão bom ser criança.
beijitos.

10:55 AM  
Anonymous JMC said...

Recordações de infancia, quando boas, são sempre belas e de recordar com alegria.

JMC

11:21 AM  
Anonymous Anonymous said...

e o gosto ficou-te ...pelos gatos e pelo comer da 1ª fatia de bolo...
Linda história, nina!

12:04 PM  
Blogger r.e. said...

o teu relato remeteu-me para um quintal remoto, com um castanheiro mais antigo ainda, onde as ervas já nesse tempo cresciam sem lei, mas onde parte de mim ficou, não sei já de que forma e porquê, mas acho que descobriria se lá voltasse. obrigado pela viagem mental que despoletaste. beijinho. J.

7:07 PM  
Anonymous Anonymous said...

Esses cheirinhos que a memória dá são uma maravilha.

10:38 PM  

Impressoes

<< Home