Thursday, February 23, 2006

Discussoes


De um modo geral, as querelas eram originadas por diferendos relativos a terras, e isso era um assunto muito sério. Muitas brigas, sempre de uma violência verbal cáustica, eram originadas pelo disse que disse. De qualquer maneira quando alguém discutia toda a aldeia sabia pelos gritos histéricos dos intervenientes, mulheres na maior parte das vezes. Muitas vezes as querelas envolviam famílias inteiras e podiam manter-se anos consecutivos.
Algumas pessoas tinham um talento especial para se envolverem em argumentos coloridos e faziam-no com uma frequência regular para gáudio dos restantes. Normalmente, aos primeiros sinais de zaragata juntava-se uma urbe razoável para medir fundamentos e para separar os litigantes se a coisa se tornasse mais física e mais interessante.
Para as ofensas havia uma gradação. Se alguém chamasse "puta" a outra, a segunda superava o cumprimento respondendo "re-puta". Mas a primeira podia ainda contrapor "contra-puta", o que era uma ofensa muito mais grave, não sei bem porquê. Mas as coisas não ficavam por aqui e podia chegar-se a "re-contra-puta" e por aí adiante.

5 Comments:

Blogger João Neto said...

Rosário,

Tu podes até não acreditar, mas nos bairro da periferia daqui de João Pessoa são muito comuns as brigas de vizinhos, ou dentro das famílias, e o processo se dá basicamente da mesma forma como descreveste. A diferença é que ninguém aqui possui a fineza de chamar alguém de "contra-puta", que soa mais fleuma britânica do que qualquer outra coisa. Aqui, para usar uma expressão bem nordestina, "o buraco é mais embaixo".

2:53 PM  
Blogger rps said...

Esse gradualismo ascende a "puta, re-puta..., etc" é brilhante de tão incompreensível. Há coisas que só mesmo em Trás-os-Montes.
Mas, por todo o lado, as terras e a água estão na origem de graves conflitos. E de homicídios.

10:34 PM  
Blogger Folha de Chá said...

Essas disputas são graves e deixam sequelas. Ainda hoje se fala de estórias dessas.

11:17 PM  
Blogger spartakus said...

Bom dia Rosário. antes a neve a este frio...Boa viagem e não venhas matar saudades que isto vai piorando. digo eu, que pouco sei e sou céptico por natureza. Bjinhoss e abracikosss.

10:17 AM  
Blogger O Micróbio said...

contra-re-contra-puta!... :-)

12:38 PM  

Impressoes

<< Home