Sunday, June 03, 2007

Goodbye Elvis




...como é que se diz adeus para sempre a um amigo? Elvis deixou-nos. Para sempre. O seu coraçãozinho doce deixou de deixou de acompanhar o ritmo frenético do seu amor pela vida. Estamos de luto cá em casa.

Querido Elvis, foste a mais doce das criaturas, a mais suave e delicada. Sempre pronto para dar e receber carinho, sempre presente e disponível para amar, para brincar, par afazer companhia e para receber guloseimas, durante estes dois anos e meio em que nos deste o privilégio de estares presente nas nossas vidas.
Foste o nosso teddy bear delicado, a nossa pantera negra graciosa, no nosso amigo precioso, o nosso menino perfeito. Quase... porque a Natureza te dotou de uma pequena falha fatal. Um sopro no coração. Sempre soubemos, desde a primeira visita ao Veterinário. E que podias viver saudável durante muito tempo... ou não. E que cirurgia não era opção e mais valia não te dar medicação. Por causa dos efeitos secundário e assim.
O teu "daddy" foi a extremos para evitar que saísses do jardim, com medo que o teu coraçãozinho te falhasse na hora em que tivesses de te defender. Para não te perder. Desculpa ter-te proibido o mundo, assim. Foste amado e cuidado com toda a dedicação. Mas não chegou...
Partes, mas farás sempre parte da família e estarás sempre presente nos nossos corações. Jamais te esqueceremos.

Goodbye, my beloved friend.

11 Comments:

Blogger Su said...

deixo.t jocas maradas...sempre

7:25 PM  
Blogger kurika said...

Oh Linda fico triste por ti. Eu sei o que custa perder um "ente" querido. Não me imagino sem o meu Kurika, e percebo-te bem...!!!

Ele não sofreu certamente, e isso vale por alguma coisa.

Ficam as recordações boas que ele vos deu.

Um beijinho e um xi

7:28 PM  
Blogger jj said...

Uma bonita e, nota-se, bem merecida homenagem.


Um beijinho.

9:53 AM  
Anonymous Anonymous said...

Lamento muito o do teu "bichinho". A noite passada tive um sonho horrível... sonhei que meu fofinho Toulouse deixava-me, e acordei num mar de lágrimas, por isso compreendo a tua dor. Beijinhos e ânimo. Rosalina

9:58 AM  
Blogger PintoRibeiro said...

Percebo(-te). Amo os gatos.
Bjiku e abraciku Rosário.

10:36 AM  
Blogger Platero said...

Rosário

Comovente o teu post de hoje, mas ele vai viver sempre na tua memória especialmente em todos os bons momentos que certamente te irás lembrar.

Um abraço

3:35 PM  
Anonymous Formiguinha said...

:( Um xi-coração apertadinho.

5:12 PM  
Blogger avelana said...

sei como é perder um amigo assim.
Mas eles ficam para sempre connosco e vão tornar a aparecer, sob outras formas.

Tive um cão com sopro, mas foi aguentando...
Já leste o "Curas Naturais para Cães e Gatos " ?
A Autora fala no luto pelos nossos animais e no seu reaparecimento posterior, nos sinais q nos transmitem, mas mensagens que enviam.
Um beijo para ti e para o "daddy".

12:47 PM  
Blogger greentea said...

nunca tive gatos em casa mas os gatos pretos sempre me apareceram ao caminho sob muitas formas , até o teu Elvis de expressão tão doce!

Será algum sinal, decerto que é...
Mas sempre a mensagem que eles me trazem é de bom augúrio, de ternura e paz. O teu menino não estará mais sob uma forma visivel mas continuará contigo para sempre e de diversas maneiras será sempre o teddy bear que não deixará de vir fazer um mimo à sua dona.

Um beijo doce, porque só quem tem animais entende o que a perca de um amigo assim.

7:27 PM  
Blogger Woman Once a Bird said...

Esperemos que o Elvis esteja a comer barrigadas de biscoitos e a ser bajulado por uma data de gatitas simpáticas, lá no sítio para onde eles vão quando nos deixam. Certamente encontrou o meu Cupido - muito parecido com ele, mas sem cauda. Já devem estar a engendrar incursões pela vizinhança.

Beijinhos de quem a compreende.

7:42 PM  
Blogger asn said...

Querida Rosário
Li este texto e emocionei-me quase até às lágrimas.
Cá em casa temos 2 gatos que, por esse motivo, de luta pela sobrevivência, mantemos no interior das instalações da casa. Têm espaço, têm uma varanda virada a Nascente, 3 janelas onde chegam a passar bons bocados. Mas não os podemos deixar ir para a rua. Cá fora vivem, sempre à espera da hora da ração, 5 gatos, mãe e filhos duma ninhada que por aqui assentou arraiais há quse ano e meio. Não temos coragem para os deixar entregues ao seu destino.
Bom dia, Rosário
António

11:05 AM  

Impressoes

<< Home