Sunday, January 01, 2006

Que mil flores...



Que mil flores desabrochem. Que mil flores
(outras nenhumas) onde amores fenecem
que mil flores floresçam onde só doresflorescem.

Que mil flores desabrochem. Que mil espadas
(outras nenhumas não)
onde mil flores com espadas são cortadas
que mil espadas floresçam em cada mão.

Que mil espadas floresçam
onde só penas são.
Antes que amores feneçam
que mil flores desabrochem. E outras nenhumas não.

Manuel Alegre
(cantado pelo António Bernardino)

2 Comments:

Blogger Pólux said...

Rosário amiga,

Que mil flores de esperança desabrochem, e que o familiar recupere rapidamente.

Gostei do ditado mirandês. Digo, da sonorização, já que não "abranjo" muito bem o conteúdo. :)

Beijinho.

9:47 PM  
Anonymous rps said...

Aqui, até voto no Alegre...

5:20 PM  

Impressoes

<< Home