Monday, December 12, 2005

Matanca do porco II

Depois de limpo, o porco era suspenso de cabeça para baixo, por meio de uma roldana ou apenas por estacas de madeira. O frio áspero retesava as carnes durante a noite.
No dia seguinte, com a carne enxuta e hirta, procedia-se ao desmanche do animal. Também aqui era dado destino às diferentes partes, presuntos para a salga, costelas para serem fumadas, cabeça para as alheiras, lombos para os salpicões, ossos da coluna e rabo para os butelos, retalhos para os chouriços, sobras para os chabianos.
Havia muito pouco que se não se aproveitasse. Nós não tínhamos o hábito de comer o toucinho mas era normal na maioria das outras casas nem isso escapar. De qualquer modo, guardavam-se os pedaços mais incomestíveis, ou a provisão do ano passado, que entretanto se tornara rançosa, para fazer sabão. Cortava-se o toucinho em pedacinhos, juntava-se soda cáustica e outros ingredientes, e o processo de saponificacao carcomia a gordura e transformava-a num sabao muito branco e com um odor caracteristico.
A gordura do abdómen que protege as vísceras, à qual se dava o nome de “unto”, depois de retesada pela acção do frio de uns dois dias, era cortada em pedaços e fervida. Assim se obtinha a banha que depois se usava para cozinhar durante o resto do ano.
As diferentes partes de carne eram cortadas convenientemente tendo em conta a sua finalidade. Eram então mantidas em água salgada e aromatizada com tomilho, orégãos, louro e muitos alhos, durante dois ou três dias até tomarem o sal. Durante esse tempo, os almoços e jantares consistiam invariavelmente de carne de porco assada. Era uma carne perfumada, suculenta e muito tenra que pingava abundantemente para as brasas e se desfazia na boca com pouco esforço.

19 Comments:

Anonymous JMC said...

Gostei da forma como aborda o tema, bem detalhado e sem ser longo.

11:31 AM  
Blogger pirata vermelho said...

as has been already stated
ples
/
\ pática

mai'nada!


BJUCOS

11:55 AM  
Blogger hfm said...

Continuo a ler com interesse... o pior é o apetite!

11:56 AM  
Blogger Pinto Ribeiro said...

e eu nem o pikeno almoço inda tomei...bom dia Rosário. Bjos e abracikos.

12:10 PM  
Blogger deumus said...

E Satanás é o Senhor.

12:35 PM  
Blogger pirata vermelho said...

eu dou-t'o gótico!...

1:30 PM  
Blogger Dinada said...

Ó Rosário, o deumus, no meu blogue, só põe carinais...tá male!!

Quanto ao Porco, já ia uma morcela no forno com muito azeite e alho, batatas assadas e cortadas às rodelas grossas, à moda beirã.

nham nham.

Beijico!

1:54 PM  
Blogger Rosario Andrade said...

Deumus,
Eu ca pessoalmente nao tenho deuses nem senhores, chamem-se eles satanas, jeova, ala ou o que quer que seja. SOU LIVRE, sou muito minha e nao vergo a amo nenhum!...
Cada um escolhe os seus deuses... eu acho piada aos gregos... mas nao os venero! No máximo, vou com eles as putas e bebo uns canecos com eles... por isso sao tao tao interessantes!

Abracicos!

2:13 PM  
Blogger sonia r. said...

Ricas lembranças, Rosário. Obrigada pela visita. Uma opinião: não ligues à loucura ( temporária, espero ) do deumus...LOL. Um bjinho.

2:21 PM  
Blogger Inha said...

Ai que saudades, Rosarita! Até me fazes crescer água na boca!;)

2:50 PM  
Blogger Adryka said...

Olá Rosarita, cada terra tem seu uso aqui no Minho é um pouco diferente, a os fins dados ás carnes, por exemplo a cabeça era salgada, dava para os cozidos á portuguesa. Muitas outras coisas que falas aqui se processa de forma diferente. Beijos

2:58 PM  
Blogger vadiano said...

é pa faltava descrever o guincho do porco...mas tabem ve-se k percebes disso...

3:10 PM  
Blogger frog said...

Biba la matança del nosso cuchino
qual fim al cabo simpre fui bardino

Um pegou nel rabo
Outro unã pata
Yau cum muita furça
Espetei biem la faca

El larego murto
Sim soubir runcar
Fui buscar um fardo
Para el chamuscar

El fardo arriba del
Lá acabou d arder
Alebanta-se des sulo
I ampeça a currer

Nós chenos de fame
Cum gana de garrotes
El de trás a lantre
Na rue als pinotes
La palha estendida
Pra labor las tripas
Las ties de zinholos Agusrdaban mui aflitas

Al pormo la estaca
Para el culjar
Dão un rudião
Turnou-se à escapar

Pudes fintar-te an mie
Quisto fui berdade
El raio del cuchino
Tenie létricidade

Bibam las chiças
e los presuntos

3:31 PM  
Blogger Rosario Andrade said...

Frog,
Nao conhecia esta!!!! Uma pérola. Vou posta-la se nao te importas!

E tu, vais a carcao a buscar uns choiricicos?

Abracicos!

3:36 PM  
Blogger frog said...

este ano num podo...num teno tempo... Bou a bêr se mus mandam por ua camineta de carreira...

posta á vontada...mas ulha que faltam os "apóstofres" que num os encontrei nu teclado

Abracicos

3:48 PM  
Blogger Rosario Andrade said...

... eu aqui, so se a carreira tuber asicas!...
Mas sabes do que tenho mais saudades? Do pao... ai o paozico de carcao, como me sabem aquelas codechicas!!!!! Quando la bou, ando dois dias quase so a pao e a caldico de coibes... para matar as saudades!

Abracicos!

3:58 PM  
Blogger pirata vermelho said...

VIV'O FROG!

6:28 PM  
Blogger pirata vermelho said...

à butaçon!
-- rosario & frog só falam um c'o outro em mirandês --

quem bota contra?

6:31 PM  
Anonymous rps said...

Eu estou de acordo - a Rosário e a Outra Voz falam em mirandês e nós vamos aprendendo alguma coisa.

6:42 PM  

Impressoes

<< Home