Wednesday, December 07, 2005

Erros...

Todo nós cometemos erros. Todos nós estamos sujeitos a condições que afectam o nosso estado de atenção e a capacidade de analisar uma situação e de ter a reacção correcta. Stress, sobrecarga, falta de descanso, problemas pessoais... tudo influencia.
Nao sei se foi um desses factores a determinar dois do erros que hoje vi...
O primeiro, coisa simples, estava a fazer aquilo que chamamos o "clinical check" da prescrição de um doente. A certa altura um medicamento prendeu a minha atenção... Bysacodil, II (significa duas unidades, sejam comprimidos , supositorios, inalações, etc) QDS (quatro vezes ao dia). Não tanto o medicamento mas a frequência. O Bisacodyl é um laxante estimulante e normalmente, mesmo em casos extremos, em que é necessária uma limpeza total do intestino, a dose máxima é de 4 comprimidos na noite anterior ao procedimento cirúrgico. Pensei para comigo "bô, alguém quer matar este doente de caganeira"... Após uma pequena investigação nas dotas médicas do doente, desfez-se o mistério... O que o médico pretendia era prescrever Bricanyl... um broncodilatador! Conclusão, não só o doente se ia esfoirar, ficar com os electrólitos todas alterados como ainda se arriscava a ter algum ataque de asma...
O segundo caso... um doente com doença avançada do figado, ao qual foi prescrito Chlorpheniramine 4 mg, um anti-histamínico usado para reduzir o prurido cutâneo causado neste caso pela acumulação de compostos de amónia. Há dois dias contactei a equipa médica e disse-lhes que aquele medicamento nao é apropriado e está contra-indicado em doentes hepaticos. Em vez disso pedi-lhes para prescreverem Cholestiramine 4g, uma espécie de resina que impede a absorção dos tais compostos de amonia. A equipa assim fez. Hoje descobri que os enfermeiros têm estado a dar ao doente exactamente o primeiro medicamento a pensar que é o segundo... então mas nem a dose faz diferença... ai ó meus amigos!

8 Comments:

Blogger Dinada said...

Bom dia Rosário, querida.

Passei por aqui para te desejar um bom feriado he he he!

Piadola mais sem graça, mas olha, é o que se pode arranjar :D

Beiiijo!

1:08 PM  
Blogger Kamia said...

Caramba! E se pensares na quantidade de gente que pode estar a cometer o mesmo tipo de erro...vai se ver e já alguem deve ter ido desta para a "melhor" por causa destas distrações.
Vá lá que os medicamentos tinham nomes parecidos, mas isso para nós, leigos.

Mas como tu bem dizes, podia acontecer a qualquer um, ter um azar deste por N motivos.

Fica bem.

1:48 PM  
Blogger Pinto Ribeiro said...

Bom dia Rosário. Somos dois. A trabalhar. Beijos e abracikos.

1:51 PM  
Anonymous rps said...

Este tipo de ocorrência assusta-me. E tem ainda uma agravante: o doente e os familiares nunca saberão destes incidentes... Se um tipo "quina"... foi Deus que o chamou...

4:50 PM  
Blogger porfirio said...

faço um apelo às indústrias farmaceuticas e seus técnicos que tenham muita atenção ao baptizarem os medicamentos... não facilitem os enganos que um dia nos meterão num caixão...

jinho rosário

8:22 PM  
Blogger greentea said...

gosto do teu blog.
Qtos casos destes não sucedem no dia a dia, qtos enganos , qtas falhas técnicas? Tomamos um medicamento errado, a dosagem alterada , sofremos uma intervenção onde tudo estava perfeito...
ainda bem q há quem ainda note mas eu tento fugir o mais possivel dos hospitais e ... dos médicos.
Tb estive a trabalhar todo o dia.
Abracikos

11:00 PM  
Anonymous batista filho said...

Ainda bem que estás sempre atenta, amiga.
Um abraço fraterno.

12:44 AM  
Blogger Rosario Andrade said...

Infelizmente casos destes sucedem todos os dias, e é esse o meu trabalho, verificar as prescricoes a cata de erros... sou um tipo de cao de guarda, ehehehe.
Quanto as consequencias, aqui as coisas piam fino. No primeiro caso, como o doente nao chegou a usar o medicamento, nao havera consequencias. Mas no segundo caso, é imedatamente escrito um "incident report" com todos os detalhes do erro, por quem foi efectuado e todas as circunstancias que o rodearam. É tambem descrito nas notas do doente.
Assim, se acontecer algo ao doente e ele decidir processar o Hospital, esta tudo escrito preto no branco...
Mas aqui eles estao muito a frente de nós nesse aspecto. Ja passaram essa fase da incuria em que se abafam os erros e o doente nao tem hipotese, vai desta para melhor e pronto, foi uma coisa que lhe deu. Parece um servico prestado por uma sociedade secreta...
Basta-nos ter esperanca que um dia la cheguemos... para quando?

Abracicos!

9:26 AM  

Impressoes

<< Home