Thursday, November 10, 2005

Ser ou nao ser

Porque fugimos de nós? porque fujo eu do que não posso, porque fujo de mim?... ... ...
...
...
Não sei ser mais nada do que este artefacto pensamento, do que sentir sentir SENTIR. Sou apenas um pouco de mim, quase nada... e não chego para o que sou. não me alcanço, nem me liberto, que sempre em minha sombra ando e adormeco. DELÍRIO.
...
... MAS ÀS VEZES... num impulso autodestrutivo queria deixar-me ser tudo... ser até à exaustão à imundicie ao enfartamento à náusea. SER.


(Imagem: Hippolyte Flandrin)

5 Comments:

Blogger papagaio said...

bem...eu sinto logo existo

8:52 PM  
Blogger mfc said...

Como diz Régio no "Cântico Negro"... "ha coisas que terei pudor de contar seja a quem for"!
Todos temos desejos/sonhos/acções que não queremos públicas, por preconceito ou por julgarmos que não se enquadram em nóse na imagem que de nós fazemos.

10:44 PM  
Blogger frog said...

Mundo de enganos este...e os primeiros a quem enganamos é a nós próprios...somos uns castiços

hoje está um verdadeiro sol de S. Martinho....BIBAM as castanhas e a JURUPIGA.

Bom dia e abracicos

9:42 AM  
Blogger Elipse said...

Mal de Outono. Também sofro do mesmo sentir cíclico!
Compreendo as palavras.

2:30 PM  
Blogger Angela said...

Ser, deve ser das coisas mais difícieis de conseguir. Bom fim-de-semana.

5:33 PM  

Impressoes

<< Home