Wednesday, October 19, 2005

Objectivos de Desenvolvimento do Milenio

Objectivos de Desenvolvimento do Milénio das Naçoes Unidas (UN MDG), até 2015
1. Erradicação da pobreza extrema e da fome
2. Atingir a educação primaria universal
3. Promover a igualdade entre os sexos e a emancipção da mulher
4. Redução da mortalidade infantila
5. Melhorar a saúde materna
6. Combater o HIV/AIDS
7. Assegurar a sustentabilidade ambiental
8. Desenvolver uma parceria global para o desenvolvimento.

Estes objectivos sao inequiocamente nobres mas sera que são realistas? Salvo respeito por opinioes contrarias, e que é muito, a mim parece-me mais uma utopia malabarista para lenitivo das consciencias dos paises mais prosperos.
Dois pontos me merecem especial consideração.
O primeiro, a erradicação da pobreza extrema e da fome. A Maria Heli, no Amor e Ocio refere que em Portugal existem 2 milhoes de pessoas em situação de pobreza. Nos Estados Unidos, o furacao Katrina revelou a miséria em que as pessoas vivem num dos paises mais ricos do mundo. Apenas dois exemplos. Se não somos capazes de resolver a situação da pobreza dentro das nossas portas, como resolveremos a do mundo, especialmente em regioes sem um minimo de condiçoes ou de infraestruturas, em paises em que a seca extrema, a guerra ou os interesses de paises e multinacionais poderosissimas grassam?

O sexto, o combate ao HIV/AIDS. É pena que apenas esta doença esteja contemplada nos objectivos do milenio. As doenças crónicas representam uma enorme proporção da doença humana. Nesta categoria estao incluidas as doenças cardiovasculares (30% das mortes projectadas para 2005 no mundo inteiro), cancro (13%), doenças respiratorias cronicas(7%) e diabetes (2%). Dois factores principais contribuem para estas doenças e representam a chave principal para qualquer estratégia de controlo: o uso do tabaco e a obesidade. E ao contrario do que se pensa, estas doenças nao são exclusivas de naçoes ricas. As doenças crónicas são um problema maior em naçoes com poucos recursos.
Curiosamente, a redução do numero de mortes devidas a doencas crónicas em “apenas” 2% anualmente, evitaria a morte de 36 milhoes de pessoas ate 2015! Muitos especialistas temem que os ganhos verificados pela redução das doenças infecciosas de dilua a medida que uma onda de doenças evitaveis com uma prevenção eficaz mata pessoas no mundo inteiro.

7 Comments:

Blogger frog said...

de um ponto de vista muito generalista suponho que nenhuma organização oficial resolva estes problemas... os 8 objectivos propostos até 2015 irão ser básicamente os mesmos que eles irão propor para os anos 2015/2030 e aí por diante...com uma pequena diferença é que antes tinham noção da hipocrisia e faziam planos a 5 anos...agora são totalmente hipócritas e fazem planos para 10 anos...é o Blá,Blá,Blá do costume...sem querer pregar no deserto, acho que estes problemas na sociedade exacerbada em que vivemos, só poderão ser atenuados, e não resolvidos, com o caractér individual das pessoas e não por organizações oficiais emprenhadas politicamente.

2:40 PM  
Blogger Rosario Andrade said...

Caro frog,
Concordo contigo. O que me enerva mais é que se atirem a objectivos que sabem que nao podem atingir, para depois dizerem... ups, ainda nao foi desta... mas o objectivo para blablabla
Na minha opiniao, mais valia terem objectivos realistas e atingirem-nos porque isso aumentaria a confianca das pessoas de qua algo estava de facto a ser feito.

3:09 PM  
Blogger Inha said...

Estas associações só servem para encher os bolsos e a pança a quem faz parte delas. A maior parte dessa gente fala do que não sabe e muito menos conhece o terreno. É como a ONU: de que serve se foi incapaz de travar a guerra do golfo e a do Iraque?
Eu já não acredito neste tipo de fantochadas.;)

3:22 PM  
Blogger Maria Heli said...

O problema é que já quase ninguém acredita; algumas instituições estão desacreditadas; as políticas, muitas vezes, servem para encobrir em vez de revelarem certas realidades. Em vez de prática, há demasiada teoria sobre estas matérias. Acção insuficiente!
A impotência, de cada um, perante problemas tão sérios como estes é tantas vezes tão grande...
Chega a ser angustiante.
Mas não podemos deixar de pensar que uma longa caminhada começa com um só passo.
Se não, tá tudo lixado...

4:39 PM  
Blogger Susana Barbosa said...

Concordo plenamente com a Rosário e a Maria. É necessária ACÇÃO, mas ajustadada, coerente e fiscalizada!

5:26 PM  
Blogger Pinto Ribeiro said...

já num consigo acreditar...mas...

7:04 PM  
Anonymous rps said...

Quando uma vaca em França recebe mais de ajudas que um esfomeado no Níger...

Mas, quando o Tony Blair bloqueou o debate sobre o Orçamento na última Cimeira da União, por contestar os valores que a França recebe da Política Agrícola Comum, o "pensamento dominante" condenou o sr. Blair e criticou a sua falta de sensibildiade para o ideal europeu...

5:33 PM  

Impressoes

<< Home