Friday, March 23, 2007

A escola

(Geoffroy)
Na escola eu era sem dúvida privilegiada. Eu era uma pequena muito rosada, a cabeça emoldurada por caracóis escuros, uma curiosidade aguda e um espírito terrivelmente inquiridor. Talvez por isso ela me achasse piada. Talvez com outra professora o meu espírito tivesse mirrado mas ela esforçava-se por me manter interessada. Enquanto eu progredisse ela arranjava novos estímulos que eu devorava sempre com um interesse voraz. Passava muito tempo na secretária da D. Maria a fazer trabalhos que ela designava especialmente para mim. Trazia-me livros escolares alternativos que eu devorava avidamente.
A maioria dos recreios passava-os com ela na sala de aula. Fazia exercícios e desenhos, lia histórias, executava complexas colagens donde surgiam objectos a três dimensões. Dava-me liberdade para pensar e apresentar projectos, juntas elaborávamos posters com a tabuada e com os mais variados assuntos que depois expunhamos nas paredes da sala.
Uma das coisas que eu mais gostava de fazer eram os testes. Ela tinha um sistema arcaico de fazer fotocópias usando um tabuleiro de gelatina. Escrevia-se o teste numa folha de tamanho regular com uma tinta solúvel na água. De seguida, colocava-se a página escrita sobre a gelatina e esta ficava inscrita como um negativo, pronta para imprimir outras páginas desde que se mantivesse a gelatina convenientemente humedecida. Só restava colocar uma a uma as folhas virgens na superfície da gelatina e retirá-las de seguida, impressas com o teste cada vez mais diluído.
Por todas essas razões adorei a escola primária.

24 Comments:

Blogger kurika said...

Amiga...

...ainda me lembro de fazeres os teus resumos a caneta, sem maiúsculas nem espaços...tiravas fotocópias e sublinavas com muitas cores...


Davas-lhe a cor necessária para aprenderes...aquelas formulas tipo moléculas e mais aqueles átomos todos esquisitos...

Eu achava engraçado, a caloira que cantava melhor que a "cantora"...!!!

Um beijinho

...e certamente, que de hoje a oito dias estaremos a falar lado a lado...

12:33 AM  
Blogger Edelize said...

Professores bons são aqueles que conseguem desabrochar nossas capacidades, nos mostrar outras... Pensando no assunto, acho que consigo enumerar uma listinha de bons professores que tive. Bom recordar... Beijocas.

1:57 AM  
Blogger Santa said...

Que fofos! Que lembranças boas!! Sem dúvida é o melhor pedaço da vida...

Bjs

11:13 PM  
Blogger Elipse said...

recordamo-los como verdadeiros mestres; mas eles ou elas recordam-nos a nós como verdadeiros desafios.
estou a ver-te como em tempos vi alguns alunos meus, ávidos... grandes estímulos para mim.
Hoje já não existem, ou existem menos... repartem-se entre solicitações várias e deixam morrer o jeito para tudo nas teclas de uma playstation... ou, mais tarde, se são muito aventureiros, na atracção das experiências proibidas.
O pior é se depois os encontramos a pedir moedas, quando estacionamos.

vejo que tiveste quem soube aproveitar e desenvolver o que em ti era inato.

10:55 AM  
Blogger Opintas/Bernardo said...

Ora bom dia e bom domingo!

11:11 AM  
Blogger rps said...

Nunca me deparei com esse métido de fazer cópias...
Entretanto, ocorreu-me que tenho em grande estima a D. Clarisse, minha professora da 1º e 3ª classes. Há uns anos, soube que estava muito doente. Provavelmente, já morreu...
Lembro-me dela com frequência.

6:53 PM  
Blogger Kátia Moreira said...

Olá, estou concorrendo ao destaque da semana do blog entre amigos e te convido a cnhecer meu cantinho: http://lacoeabraco.blogspot.com.
Ah! Achei seu blog muito lindo.
Bjs
Kátia

8:07 PM  
Blogger Platero said...

Também me lembro de se fazerem cópias em gelatina e depois numas máquinas de stencil, ou com papel quimico.

Gosto de relembrar estas memórias de infância.

Um abraço

9:37 PM  
Anonymous chanesco said...

Este texto é bem o exemplo de que a memória dos momentos passados nos primeiro anos de escola são para nós dos mais marcantes.

Um abraço e boa semana

10:49 PM  
Anonymous Paulo Lopes said...

Olá Rosário!
Também a D. Maria foi minha professora da 1ª à 3ª classe, um dos últimos anos da sua carreira. Foi uma grande profissional e de um grande humanismo. Também guado muitas e boas recordações. Na nossa altura, lembro-me que ela adorava fazer teatros, principalmente no natal e páscoa, assim como a grande capacidade para fazer poemas. O ano passado aida fui visitá-la. Continua muito simpática e pergunta por todos nós.

12:49 AM  
Blogger sonia r. said...

Eu também. Bjinho Rosário.

11:46 AM  
Anonymous JMC said...

Por isso, é que há professores e Professores.

Boa Semana.

JMC

11:46 AM  
Blogger o alquimista said...

O cheiro a papel, canetas de aparos, mata borrão, severos professores, tanta recordação...tanto tempo passou, fizeste-me viajar...


Doce beijo

2:04 PM  
Blogger deep said...

É curioso: ainda há dias me lembrei que a minha professora da instrução primária também usava esse método para policopiar os teste...


Tem uma boa semana. Bjs

3:12 PM  
Blogger Opintas/Bernardo said...

Um abraço.

5:55 PM  
Blogger Barão da Tróia II said...

Naquele tempo ainda se aprendia, hoje é isto...boa semana.

9:18 AM  
Blogger PR said...

BOM DIA!!!

11:13 AM  
Blogger Tom, um ser diferente... said...

Olá Rosário!

Me fizeste lembrar de uma época muito feliz com este post!
Na minha escola, tínhamos um "mimiógrafo", era esta mesma maquininha que você descreve no seu texto. Os teste saíão fresquinho com cheirinho de álcool... Ai, ai... que saudade!

Mil beijos e obrigado pela lembrança saudosa.

Tom

3:58 PM  
Blogger Opintas/Bernardo said...

Bom fim de semana e um abraço.

12:06 PM  
Blogger jj said...

Há vinte anos atrás ainda se usavam esses tabuleiros. Lembro-me perfeitamente!

Que bela descrição da escola!

Jinhos.

12:11 PM  
Blogger Daniel Aladiah said...

E assim se inicia uma vida diferente... um maior desenvolvimento mental dá-nos capacidade para ultrapassar muitos obstáculos, mas podemos não ser felizes, apesar de tudo.
Um beijo
Daniel

7:17 PM  
Blogger PR said...

Passei, bjikus e abracikus,

8:23 PM  
Blogger Mikas said...

Felizmente também sempre fui muito estimulada na escola com uma relação muito proxima dos professores. Beijokas

8:26 PM  
Blogger marta said...

Que beleza de história.
Nunca tinha ouvido falar nessa técnica de fotocópias.

As minhas recordações dos primeiros anos de escola não são felizes.

Beijinhos e sê bem-vinda a este nosso país.

7:05 PM  

Impressoes

<< Home