Thursday, March 30, 2006

Traducao

(Bechi)


Andei anos a fio com a lingua trocada por
obrigá-la a sair do seu caminho e ter de
pensar antes de dizer as palavras certas:
uma lingua nasceu comigo, comi-a em merendas, bebi-a em fontes e regatos
e a outra é despojo de uma guerra de muitas batalhas.

Agora tenho duas linguas comigo
e já não passo sem as duas.
Estou sempre a trocar de lingua meio a medo,
como se fosse um caso de bigamia.
Uma sabe coisas que a outra desconhece
riem-se uma da outra fazendo troça e por vezes zangam-se.
Exceptuando isso dão-se tao bem, que sonho nas duas ao mesmo tempo.

Há dias em que quero falar uma e sai-me a outra.
Há dias em que fico com uma delas tao (amarrotada?) que se nao a falar
rebento.
Há dias em que se entrelaçam uma na outra
e depois correm a ver quem chega primeiro,
e muitas vezes acabam por sair encavalitadas uma na outra
e a mim dá-me a risa.

Há dias em que fico todo curvado com as palavras por dizer
e encarrapito-me nelas como numa escalada
e deixo-as voar como música
com medo que enferrugem as cordas que as sabem tocar.
Há dias em que quero passar de uma para a outra
mas as palavras escondem-se
e passo muito tempo atrás delas.

Entre elas, dividem o meu mundo
e quando passam a fronteira sentem-se meio perdidas
e fartam-se de roubar palavras uma a outra.
Ambas pensam
mas há partes do coração em que uma delas não consegue entrar
e quando chega a porta poe o sangue a (...) das palavras.

Cada uma foi professora da outra:
o mirandes nasceu primeiro e eu habituei-me a dormir embalado pelos seus
sons quentes
como brasas
e ensinou o portugues a falar guiando-lhe a voz.
O portugues nasceu na ponta dos dedos
e ensinou o mirandes a escrever porque este nunca teve escola para ir.

Tenho duas linguas comigo
duas linguas me fizerem
e já nao passo, nem sou eu, sem as duas.

9 Comments:

Blogger spartakus said...

Rosário: tem paciência, eu ainda num dormi, e vai à Dinada traduzir-lhe a historia dos teus blogues. Está pior do que eu, sffavor. Bjinhos, abracikos. Muitos.

1:46 PM  
Blogger Rosario Andrade said...

Ja fui!...
Como ela tem andado ocupada nao percebeu a trapalhada...

Inda num drumiste? ca ganda malandro! espero que tenha sido por causa de diversao e nao por causa de trabalho!
Bjico!

1:48 PM  
Blogger Inha said...

E as duas dominas bem, por sinal!...;)
O teu mirandês é obra!...

BeijInha

2:44 PM  
Blogger rps said...

Gostei!

8:07 PM  
Blogger Dinada said...

Rosarico, voooltei!!!

Que bom apanhar-te de novo ó mirandesa :)

Beijico!

(e já não tens anagramas, booooa)

8:45 PM  
Blogger Miguel said...

Tia Rosario,

Muito obrigado pela tradução!

Assim está bem!

Bjks da Matilde

11:23 PM  
Blogger Mac Adriano said...

Mas isso é o Fracisco Niebro. No teu caso, não serão já três línguas?

12:47 AM  
Blogger spartakus said...

( dasse, logo este...outro.inda bem que ) saí. mas vou passando. um bjinho e um grande abraciko Rosário. Inté,

9:23 AM  
Blogger PMBC said...

Que bonito. Nem sei qual das duas versões a mais bonita, se a mais musical ou a mais clara (para mim). Gostava de as poder ouvir.

7:32 PM  

Impressoes

<< Home