Tuesday, January 31, 2006

Deuses

Finalmente perguntou-me, e nao é importante para ti saber se há algo depois da morte, se existimos?- NAO!. Deixa-me dizer-te uma coisa, meu amigo, depois de morto esta-se muito, mas muito morto. E durante muito tempo. Tempo suficiente para nos entretermos com a morte, tempo suficente para perder à vontade, e conhecimentos (e experiencia) suficientes para responder a todas as questoes, se ainda forem importantes.
Afinal quem é Deus? Um personagem gasoso, sem graça. Um velhote de barbas brancas, distraído e trapalhão. Eu se tivesse deuses tinha sem duvida os de religioes politeistas.
É que ao menos nas religiões politeístas há Deuses malévolos e feios para odiar e para atirar com as culpas; e Deuses simpáticos; deuses com vícios humanos, que se contorcem na fogueira das paixões, que se embebedam e vão às putas e fazem filhos a torto e a direito e que por isso tem a capacidade de compreender o homem, criado à sua imagem.
Há um erro conceptual qualquer em qualquer lado, não há? Parece que o velhote terá feito o mundo em sete dias, ou em seis tendo descansado no sétimo. Não é um pouco apressado? Parece coisa de doente terminal, fazer tudo o mais depressa possível para não corre o risco de não terminar a obra.
Vindo de um personagem perfeito, parece-me que o Homem é uma criação que deixa muito a desejar. Criado à sua imagem, dizem. Mas imperfeito. E não me venham com a autodeterminação da Humanidade e não sei o quê. Aqueles que dizem que sim, que deus criou o homem mas depois deixou ao discernimento do próprio a escolha entre o bem e o mal. Primeiro, se ele criou tudo, se a criação fosse assim tão boa, antes de tudo, não haveria mal. E não quero dizer com "mal" só as más acções, o papão, o Belzebu, falo também das malformações fetais, das alterações genéticas, dos comportamentos desviantes e tudo mais que é incompatível com uma obra realizada por um ser omnipotente.
Por outro lado, que dizer das obras perfeitas que o Homem realizou? Que deus as inspirou, que foi a mão de deus, a grandeza de deus, e sei lá o quê... não me parece. Então deus afinal interfere nas acções dos homens, mas só nas boas, o que é injusto. E é injusto que sendo os homens todos iguais perante deus, uns mereçam milagres e outros não. Que alguns tenham a bênção da saúde, dos bens materiais, do amor, e de tudo o mais. Como compreender que haja outros a morrer de fome, de sede, de tortura, de violência indizíveis, de abusos, como conceber a ideia de deus perante uma criança contorcer-se de dor enquanto luta contra um cancro?
Na minha opinião? Deus não criou o Homem, o Homem criou deus. Por duas razões. Primeiro pela necessidade prática de explicar o desconhecido e segundo pela necessidade ainda maior de se perpetuar, de acreditar que a existência não se esgota na tirania final, absoluta e definitiva do nosso corpo.
Infelizmente vivemos sob a ditadura de uma materialidade que nos arrasta irremediavelmente para a dissolução. Há que aceitá-lo. A consciência desse facto faz-me aproveitar mais os dias, mais as cores, mais a música, mais a arte, mais os cheiros, mais o sol, mais a lua, mais tudo. Faz-me respirar todas as madrugadas e absorver todas as noites e pensar como é bom sentir, pensar, viver. E acreditar no Homem. Não há céu, não há inferno, todo o mal e todo o bem tem origem no Homem. A minha religaiao é a Humanidade.

16 Comments:

Blogger greentea said...

a origem de tudo está essencialmente em nós e se não acreditarmos em nós próprios, quem acreditará?
Porque os deuses, o deus ou Deus, como se quizer, "ajudam quem se ajuda a si próprio"...
gostei muito do teu texto; a controvérsia ficará sempre entre a morte e a vida, a saúde e a doença, o sol e a lua, a pobreza e a riqueza, o Homem e esse Deus desconhecido, esses desconhecidos...
Tem um bom dia!

9:49 AM  
Anonymous Ana Amorim said...

Deus é uma necessidade espiritual, incutida pelas gerações mais velhas, ... mas que cada um de nós gere da forma como melhor sabe ou necessita!
Bjs

10:04 AM  
Blogger cm said...

leio-te num tempo finito que me corroi a pele e o ser, o desconhecido por vezes gera sombras disformes onde cabem todos os deuses...feitos ou por inventar...

11:27 AM  
Anonymous JMC said...

Pensamento, fantastico.

JMC

12:10 PM  
Anonymous Adriana said...

Acho que Deus é a natureza, são as energias que fazem com que o mundo continue girando. Deus somos nós, porque nós somos a energia.

2:24 PM  
Anonymous Anonymous said...

...eu acredito na terrível força do NADA....que a muito nos obriga para chegarmos perto do TUDO....


b.e.i.j.o.


(piano)

2:54 PM  
Blogger spartakus said...

e deusas. boa tarde Rosário. bjos e abracikos.

2:56 PM  
Blogger pirata vermelho said...

ah!...finalmente uma capaz interpretação do cristo romano e poderoso que tardamos em conhecer
(nos seus tempos de gloria terris, claro)

3:32 PM  
Anonymous Ana amorim said...

"Cheio de Deus, venha o que vier, nunca será maior que a minha alma."
Fernando Pessoa

4:44 PM  
Blogger Kamia said...

Falou e disse.

6:02 PM  
Blogger Mendes Ferreira said...

Tu não precisas de mim...mas é bom saber que falamos a mesma "alma".
beijo e obrigado.

8:55 PM  
Blogger Eridanus said...

ai, ai... tanto que vós sabeis... e aprendestes-lo por vós mesma?, ou...quem foi que vo-lo ensinou?
e donde vos vem essa vontade de no-lo transmitir?, estará ela apaziguada, agora que vos lemos?...
ai, ai, ai...

«Mais que tudo, vigia o teu coração,
Pois dele jorram as fontes da vida.»

9:12 PM  
Blogger rps said...

Eu por acaso acredito, embora não seja exactamente um convicto.
Mas compreendo-te. Muitas pessoas tem posições semelhantes. Mas acho piada que algumas, à primeira dor aguda, pedem a Deus. E outras, quando se safam de coisa séria, alteram o ponto de vista.

Eu acho que quem não acredita num Deus pensa mais nele. Ou nisso. Se não acredita, porque pensa nisso?...

Seremos todos uns místicos?...

10:44 PM  
Blogger adesenhar said...

depois de ler este excelente texto que subscrevo na totalidade, terminava com uma frase que ainda hoje faz eco na minha cabeça, dita por uma amiga no funeral do seu filho de apenas 2 anos.

Segredava-me ela ao ouvido
"Nunca compreenderei os desígnios do Senhor".

:|

11:49 PM  
Blogger Susana Barbosa said...

Boa reflexão. Faz pensar...
Boa noite!

12:30 AM  
Blogger TMara said...

e é uma boa religião. espero k n/ vehas a descrer, independentemente do k os H. fizerem.Bj

1:39 AM  

Impressoes

<< Home