Wednesday, August 31, 2005

Intimidades

Estou a amar-te como o frio
corta os lábios.

A arrancar a raiz
ao mais diminuto dos rios.

A inundar-te de facas,
de saliva esperma lume.

Estou a rodear-te de agulhas
a boca mais vulnerável.

A marcar sobre os teus flancos
itinerários de espuma.

Assim é o amor: mortal e navegável.

Eugénio de Andrade



Gustav Klimt- O Beijo (1907-8)

4 Comments:

Blogger Miguel said...

Mais uma maravilha de Eugenio de Andrade!

Este ainda não conhecia!
Bjs da Matilde

1:07 PM  
Anonymous Anonymous said...

Eugénio de Andrade deixou-nos "coisas" lindas, esta é mais um caso. As palavras são mágicas. Agradeço a visita e tambem eu serei assídua por este cantinho. Mas agora e alusivo ao comentário deixado, pergunto o blog do Pinto Ribeiro, pois deixou-me um comentário, mas o blog, ficou ilegível, ou eu não o encontro! Seria de propósito? Não creio! Voltarei, até lá, tudo bom. http://utilidades.blogs.sapo.pt/ - Elsita

2:41 PM  
Blogger Rosario Andrade said...

Ola Elsita!
Obrigada pela visita!
O blogue do Pinto Ribeiro é o cavaco:
http://ocavaco.blogspot.com/
Bjocas

2:51 PM  
Blogger Pinto Ribeiro said...

oRA ENTÃO BOM DIA. PÁSSAROS, KLINT E POESIA...atão tá bém...gente fina é outra coisa...eheheh...olé...

8:15 AM  

Impressoes

<< Home